Qual tipo de viajante fica doente mais facilmente?

Curte comida de rua, uns bons drinks ou virar a noite e sair direto da balada para o próximo ponto turístico? Então provavelmente alguns de seus hábitos lhe deixaram alguns dias de cama em suas últimas viagens. Mas será que esses realmente são os fatores que mais rendem dias de cama para os viajantes?

Quem são os viajantes de hoje?

O perfil típico do viajante mudou drasticamente ao longo dos anos. Hoje, 47% das mulheres que viajam, viajam para negócios. Millennials estão caindo na estrada para trabalhar mais do que que a Geração X e os Baby Boomers. Já as empresas, nem sempre podem pagar hotéis de alta qualidade como antes.

Os médicos nos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e da International Society of Travel Medicine dizem que, quando os aviões e os trens são uma parte consistente do show,  pessoas tendem a relatar mais problemas de saúde. Estes vão desde a insônia até o ganho de peso. 

Mochileiro, viajante de luxo ou à negócios – quem fica mais doente?

Segundo um artigo recente no The New York Times, os viajantes de negócios freqüentes  são o grupo menos saudável. De acordo com um estudo de 2011 da Escola de Saúde Pública Mailman da Universidade de Columbia, citado pelo Times, os viajantes de negócios que registraram mais de 20 dias de viagem por mês apresentaram maiores efeitos colaterais.

Estes viajantes possuem índices de massa corporal maiores, níveis mais altos de colesterol LDL “ruim” e pressão arterial mais alta. Isso sem falar que 260% deste público é mais propensos a avaliar sua própria saúde como “ok a pobre”, do que os funcionários que viajaram entre um e seis dias por mês. Para estes os problemas  se resumem ao jet lag e a falta de opções de alimentos saudáveis. Já que não há tempo para se exercitar, o estresse de estar longe de casa também aumenta, assim como o consumo de álcool.

Diminuindo o estresse

Escolher hotéis com comodidades tecnológicas como uma rede Wi-Fi única (e gratuita) para logs ininterruptos (o Four Seasons) pode ajudar a aliviar o estresse da viagem constante, por exemplo. Como pode comer certos alimentos para evitar jatos (leia: sem sanduíches de bacon, ovo e queijo), movendo-se quando puder e zen-out nesses (muitos) vôos, sim, é possível meditar em um avião.

Confira outras matérias:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *