Cidade do Cabo #1 – O caminho até o Cabo da Boa Esperança

Engana-se quem pensa que África do Sul é apenas safari e savanas. Depois da nossa estadia no Maboneng, em Joanesburgo, chegamos a última parada da nossa trip: Cidade do Cabo.

Cercada por praias e montanhas, a Cidade do Cabo possuí belezas naturais indescritíveis. Talvez este seja o motivo pelo qual estávamos tão ansiosos para conhecer a região. Mesmo tendo pouco tempo na cidade (três dias inteiros) conseguimos fazer todos os passeios que havíamos programados. O roteiro do nosso primeiro dia na Cidade do Cabo ficou assim:

Camps Bay

Uma das praias mais badaladas de Cape, o local oferece uma vista perfeita dos Doze Apóstolos, formação rochosa que faz parte da Table Mountain. Como estávamos apenas de passagem, não ficamos muito tempo por lá. Mas, já percebemos que a estrutura é ótima para os visitantes: restaurantes, bares, cafés,várias lojas de souvenires, além de um visual esplendido.

Chapman’s peak drive

Quem vai até a Península do Cabo não pode deixar de rodar os 9km da famosa Chapman’s Peak. Considerada uma das estradas mais lindas do mundo, muitas pessoas visitam o lugar para fazer caminhadas ou piqueniques. Há toda uma estrutura para isso: banheiros, churrasqueiras, passarelas e mirantes.

Nossa única frustração foi não conseguir fazer todo o percurso. Infelizmente houve uma grande tempestade alguns dias antes de chegarmos e várias pedras caíram bloqueando a estrada. Menos mal que nem todo o trajeto foi bloqueado, assim pudemos visitar alguns dos mirantes. Os poucos quilômetros que rodas por lá não decepcionaram!

Vale a pena lembrar que há um pedágio para entrar na Chapman’s. Não sabemos o valor exato, pois nosso carro era alugado e já contava com um “sem parar”. Mas não deixe de visitar o lugar por conta disso, a vista para Hout Bay é inesquecível.

Boulders Beach

Nossa próxima parada foi a Boulders Beach, famosa por seus moradores: os pinguins africanos. Chegar até lá é super fácil, o trajeto, além de maravilhoso, é super bem sinalizado.

Paramos no estacionamento e fomos andando até o acesso ao parque. Lá você encontra diversas passarelas elevadas que dão acesso à praia. Por motivos de conservação, é proibido descer até a areia. Mas a vista de cima dos mirantes já basta! Os pinguins estão acostumados com a presença de humanos e alguns chegam a se aproximar para dar um oi.

Para mais informações sobre o preço e horários de atendimento, acesse o site do parque.

Cabo da Boa Esperança

Sempre gostei de conhecer lugares sobre os quais escutei nas aulas de história. Parece que as coisas ganham uma dimensão maior! Acredito que seja por isso que tínhamos uma mega expectativa sobre toda a Península do Cabo, mas acima de tudo sobre o Cabo da Boa Esperança.

Todo o caminho até de fato chegarmos em Cape Point (onde estacionamos), dava dicas do que estava por vir. Como confessei no post sobre Ubuntu, a África do Sul nos surpreendeu. O ponto mais a sudoeste do continente africano é um dos responsáveis por isso!

O parque onde o Cabo da Boa Esperança fica é enorme. Existem várias outras atrações além da mais famosa, como a Cruz de Vasco da Gama, pontos para avistar baleias e acessos para se banhar. O trajeto mais percorrido é o caminho entre o farol de Cape Point e o Cabo da Boa Esperança. Para os que não têm muito tempo e dão essa desculpa para a preguiça (como nós), há um cable car disponível. O bondinho foi bem agilizado, subimos e descemos sem filas e curtindo uma vista sensacional.

Claro, a opção de subir a pé deve ser tão linda quanto. São vários os mirantes, deve ser ótimo tirar um tempinho para admirar a paisagem. Além disso, o ticket de ida e volta custa 65 Rands por pessoa. Depende da sua prioridade e tempo. Para conferir os preços e horários atualizados, confira o site do Flying Dutchman.

Depois de ir até o farol de Cape Point fizemos uma parada na lanchonete e fomos de carro até o Cabo da Boa Esperança. Quando chegamos lá tinha uma excursão com milhões de pessoas. Decidimos dar uma volta e fazer a trilha que leva para o topo do cliff. Apesar das pedras, é bem tranquila.

A natureza nesse pico é coisa de outro mundo! É o tipo de experiência que faz você se sentir ínfimo. Por isso, é comum encontrar pessoas que levam snacks e vinho para curtir o entardecer. Vale a pena tirar uma meia hora só para ficar observando toda aquela grandeza.

Muizenberg

No caminho de volta para a Cidade do Cabo demos carona para um skatista. Depois de trocarmos uma ideia ele nos explicou o caminho mais fácil para chegar até a Muizenberg. A praia é conhecida pelas várias casinhas coloridas de madeira que ficam na beira da praia. Quando chegamos por lá o sol estava se pondo e a praia estava linda!

Apesar disto, não demoramos muito por ali. Passeamos um pouco pela orla, ficamos olhando os poucos corajosos que tiveram a audácia de enfrentar o mar gelado. Assim foi nosso primeiro dia na Cidade do Cabo, alguns quilômetros rodados que renderam memórias inesquecíveis.

Confira outras matérias:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *